Aline
"Não é bom agir sem refletir" (Pv 19.2)

Nome de um filme. Eu sei que se pode levar menos tempo para perder o companheiro. Dicas de como conseguir tal proeza:

  • Casar por impulso. Medo de ficar pra titia ou deixar-se envolver pela conversa fiada ao pé do ouvido.
  • Pensar que vai mudar o outro nos primeiros meses de casada. A mudança será para pior.
  • Deixar para consertar os erros depois do compromisso feito. Erros maiores virão.
  • Ceder em tudo o que o queridinho lhe pedir em nome do amor. Depois é um transtorno para adiquiri respeito.
  • Ser outra na manhã seguinte ao casório. O bom humor vai embora e casca grossa fica.
  • Deixar pra lá as palavras de carinho, em troca de adjetivos não publicáveis.
  • As roupas transparentes e rendadas foram substituidas pelos famosos moletons, com inscrições diversas no peito. Estes outras tão cobiçados. Agora intocáveis.
  • Os cabelos sedosos, depois em desalinho, darão lugar a um ninho d passarinho. E a preocupação é que ninguém toque em tão bem feito artifício.
  • Trocar as figurinhas. Onde antes o homem ocupava o primeiro lugar, agora tudo lhe dá rasteira. Ele passa a ocupar o penúltimo lugar, depois do Totó.

Dá pra aguentar???


=)

Extraído do Livro de Fontana, Eliane. "Papo nosso de cada dia", Ed Press Abba


Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
Fonte: Pavablog

"A benção do Senhor traz riqueza,
e não inclui dor alguma"
[Pv 10.22]
Leia mais em: Síndrome de Cinderela
Veja mais em: , , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
"Você já foi até as nascentes do mar, ou já passeou pelas obscuras profundezas do abismo? As portas da morte lhe foram mostradas? Você viu as portas das densas trevas? Você faz idéia de quão imensas são as áreas da terra? Fale-me, se você sabe. Como se vai ao lugar onde mora a luz? E onde está a residência das trevas? Poderá você consuzi-las ao lugar que lhes pertence? Conhece o caminho da habitação delas?"
[Jó 38.16-20]

Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
Sonhar
Mais um sonho impossível
Lutar
Quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender
Sofrer a tortura implacável
Romper a incabível prisão
Voar num limite improvável
Tocar o inacessível chão
É minha lei, é minha questão
Virar esse mundo
Cravar esse chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã, se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu delirar
E morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão

Chico Buarque, e sua formidável tradução de uma letrada ópera de Dom Quixote de La Mancha
Fonte: Laion Monteiro
Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

"Tenha coragem para lidar com as grandes tristezas da vida
e paciência para lidar com as pequenas;
e, depois de ter cumprido laboriosamente sua tarefa diária,
vá dormir em paz.
Deus continua acordado".
Victor Hugo
Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
por Corrie Ten Boom

Certa mãe que conheci contou-me que viu seu filhinho sentado em um canto da sala, dizendo:
- A - B - C - D - E - F- G ...
-O que você está fazendo? - ela perguntou.
-Mamãe você me disse que eu preciso orar, mas nunca orei na vida e não sei como fazer. Estou recitando o alfabeto inteiro para Deus, pedindo que Ele faça uma boa oração com essas letras.

"Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexpremíveis" [Rm 8.26]
Tenha calma, o Espírito ora por ti!
Um abraço no consolo dEle, Aline
Aline
" Você já deu ordem a manhã ou mostrou à alvorada o seu lugar, para que ela apanhasse a terra pelas pontas e sacudisse dela os ímpios? A terra toma forma como o barro sob o sinete; e tudo nela se vê como uma veste. Aos ímpios é negada a sua luz, e quebra-se o seu braço levantado"
[Jó 38.12-15]
Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline


Para a alegria e felicidade geral de grande parte do mundo feminino, eis que surge a Dieta do chocolate, com razões de ser bem convincentes!!! Recebi por e-mail e passo as companheiras:

1 - Coma UMA BARRA de chocolate antes de cada refeição.Isso reduzirá seu apetite ao mínimo, e você comerá menos.
2 - Chocolate é um VEGETAL. Chocolate é feito de cacau (cacau vegetal) e de açúcar.Açúcar é feito de cana ou de beterraba. Ambas são plantas, ou seja, vegetais.Logo, chocolate é, integralmente, um vegetal. Praticamente uma SALADA.
3 - Chocolate também leva leite. Portanto, chocolate é um alimento muito saudável.
4 - Chocolate pode ser recheado com passas, morango, laranja, cerejas, etc. Tudo isso são frutas, e frutas são saudáveis, portanto, coma à vontade, tantas barras quanto desejar.
5 - Probleminha: como levar 1 kg de chocolate da loja para casa em um carro quente?Solução: coma no estacionamento mesmo.
6 - Equilíbrio: se você comer porções iguais de chocolate branco e chocolate preto...isto é uma dieta balanceada. Saudável, portanto.
7 - Chocolates têm muito conservantes, logo...conservam você.Conservantes fazem você parecer mais jovem.
8 - Escreva "Comer chocolate" no início de sua lista de coisas a fazer hoje.Assim, pelo menos UM item de sua agenda você vai conseguir cumprir.
9 - Uma boa caixa de chocolates pode fornecer toda a sua necessidade diária de calorias.Não é prático isso?
10 - Lembre-se: STRESSED (estressado) soletrado de trás prá frente é DESSERTS (sobremesas).Portanto, sobremesa (de preferência de chocolate) é o antídoto do stress.
Gostou? Rs... então comece hoje mesmo! Afinal segunda- feira sem dieta não é segunda- feira para mulheres "normais"!!!
;)
Beijos e boa semana cheia de doçura!!!
Aline
Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

Há dias uma mulher concorreu a uma competição televisiva de procura de talentos, muito popular na Grã-Bretanha. Tratava-se de uma mulher desempregada, de 48 anos, uma fraca figura, mal vestida, cabelo maltratado, sobrancelhas tipo homem das cavernas, penteada sem gosto, e com um sentido de humor, digamos, estranho. Tinha tudo para sair do palco vaiada e humilhada. Não seria a primeira.

Quando a plateia e o júri se preparavam para uma vaia monumental, mal ela abrisse a boca para cantar as primeiras notas, aconteceu o inimaginável: brotou de dentro dela uma voz notável, bem timbrada, colocada, afinada e expressiva que deixou incrédulos os presentes durante uns segundos decisivos. Depois a plateia rompeu em aplausos, tendo aclamado de pé a candidata a artista, que interpretou um tema não muito fácil: “I Dreamed a Dream” (Sonhei um Sonho), do musical Les Misérables.

O passo determinado e firme com que entrou no palco parecia não se conjugar com o aspecto da senhora, mas era o único elemento que deveria ter feito desconfiar a assistência. Desconfiar da sua aparência rústica e quase boçal, e que, como bem sabemos mas quase sempre esquecemos, nem sempre o que parece é.

O preconceito (pré-conceito) foi assim destruído, desta forma violenta, frontal e decisiva, num meio de comunicação de massas como a televisão, onde quase tudo é artificial, e numa época em que se avaliam as artistas da música não pelos dotes vocais mas pelo corpo e a forma ousada como o expõem. Susan Boyle centrou-se em cantar e secundarizou o resto. Acreditou que o júri estava ali para avaliar os seus dotes como cantora e não como modelo.

O seu passo firme pode querer dizer que, quanto a isso, estava à vontade. Sabia o que valia, de modo que nem pareceu surpreendida pela reacção inicial de quase desprezo do público, nem pela reacção subsequente, quando teve a oportunidade de a ouvir cantar, esta extremamente positiva. Um dos cronistas da nossa praça classificou-a como “velha, feia e com sucesso; feia a conquistar um mundo de glamour, velha insistindo num sonho”.

Não sei se Susan Boyle tem mesmo o sonho de vir a ser cantora profissional, mas pelo menos leva a satisfação de ter levado um júri, uma audiência física, e milhões através dos ecrãs, a engolir o seu preconceito. O vídeo deste acontecimento, no Youtube, já passou os 26 milhões de visionamentos. É obra.


[Fonte: A Ovelha perdida]

"Um dos vídeos que mais me emocionaram nestes últimos dias..eu recomendo:
http://www.youtube.com/watch?v=xRbYtxHayXo

Um Abraço sem preconceitos... Aline!
Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
eu e minha irmãzinha =)


Vou buscar, meu Deus,
nem que em águas distantes,
nem que preciso for mover céus e terras estranhas,
desbravar as matas,
enfrentar perigos angustiantes,
lutar sem armas,
galgando as mais altas montanhas.
Vou buscar, Senhor,
um porto novo e seguro,
onde o barco de minha vida ancore com firmeza,
onde meus pés não encontrem caminho impuro
e os meus anseios se emoldurem pela natureza.

Vou buscar, Senhor,
esta paz tão almejada,
expandindo todo o ser que meu peito habita.
Vou em busca da quimera por demais sonhada
e chegar até onde meu caminhar permita.
Vencerei as angústias de perguntas sem respostas.
Inverterei o rumo que não me foi destinado.
Despojada do fardo que pesava em minhas costas,
seguirei tranqüila ao amanhã tão esperado!

Levarei, Senhor,
comigo somente os sonhos eivados de esperança e do verdadeiro amor.
Deixarei para trás os restos tristonhos de um passado sem vida,
sem rumo, sem cor...

[desconheço o autor, recebi de uma irmã em Cristo via Orkut]
Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
[Segunda, 20 de abril de 2009.]

Quando Halima Bubkier da cidade de Sinar (Sudão), se converteu do islamismo para o cristianismo no ano passado, seu marido aceitou sem nenhum problema.
“Depois de assistir o filme ‘Jesus’, senti que precisava de uma mudança em minha vida sem esperança e sem sentido”, disse a mãe de 35 anos. “Eu vivi uma vida de alcoolismo e falta de controle, então, tentei o cristianismo e ele funcionou para mim. Eu compartilhei essa visão com meu marido, e ele me apoiou e permitiu que frequentasse os cultos.”
As notícias de sua conversão se espalharam rapidamente, e no dia 14 de setembro ela ficou frente a frente com extremistas que sentiram que sua conversão era um ato de traição. Algumas semanas depois, durante os banquetes do Ramadã, os islamistas proibiram que seu marido participasse das refeições por causa da fé dela.
“Meu marido foi totalmente rejeitado pelos colegas. Eles se recusaram a comer a comida que eu havia feito para ele, dizendo que muçulmanos não podem comer alimentos feitos por infieis”, disse ela.
Bubkier disse que nunca imaginava que sua mudança de fé iria provocar essa prova.“Ele estava tão bravo que jogou uma cadeira em mim, e feriu minhas costas. Como se isso não fosse o suficiente, ele retirou todos os pertences dele de dentro da casa e a incendiou. Depois de perder tudo o que eu tinha, ele me expulsou”, conta.
Ela decidiu se refugiar com seu irmão mais velho, Nur Bubkier, que, quando soube da conversão de Halima a agrediu e tentou esfaqueá-la.
Maria Mohamud e um diácono da Igreja de Cristo no Sudão conseguiram resgatá-la, mas Halima Bubkier ficou presa na delegacia por três dias, sob as acusações de “desrespeito ao islã”. Durante esse período, Mohamud cuidou de seu filho de 2 anos.
Depois dos três dias, ela esperava ser julgada.“Antes de minha audiência, um pastor copta [identificado apenas como Sheed], soube do meu caso e conversou com um policial, afirmando que, de acordo com a lei, ninguém deve ser preso por causa da religião. Então, fui solta.”
Bubkier deixou seus filhos de 6 e 8 anos com seu marido, que parece ter casado com outra mulher. Ela disse que apesar de estar muito preocupada com a segurança de seus filhos, ao menos está escondida e seu marido não sabe onde ela está.
“Esperava que meu marido apreciasse minha mudança positiva, mas ao invés disso, ele respondeu negativamente. De fato há algo errado com o islã, em que o bem é recompensado com o mal”, diz Halima. “Mas eu me sinto normal. Agora eu tenho uma vida melhor para viver. Estava perdida na escuridão. Deixe que Deus perdoe todos aqueles que me prejudicaram. Eu sei que não posso voltar atrás.”

Fonte: Portas Abertas
Aline
"Girl Writing" by Henriette Browne



Como Eva,
que soube seguir em frente, e aceitar o perdão de Deus, mesmo tendo sido a primeira pessoa a pecar.

Como a esposa de Noé,
que acreditou nele, apoiando-o, mesmo quando ninguém quis acreditar na mensagem que ele pregava.

Como Sara,
embora tendo duvidado da palavra de Deus, arrependeu-se, tornando-se mãe de uma grande nação.

Como Rebeca,
que aceitou a vontade de Deus para sua vida, sem hesitar.

Como Raabe,
que arrependendo-se de sua vida de pecados, se deixou ser usada por Deus, ajudando numa das grande vitórias do povo de Deus.

Como Rute,
que deixando para trás seu povo para seguir a Deus, mostrou como Deus, se preocupa com suas filhas e deseja que vivam uma linda história de amor!

Como Débora,
profetisa que julgava o povo com sabedoria e justiça.

Como Ana,
que orou pedindo um bebê, e o devolveu a Deus para que ele se tornar um grande profeta.

Como Abigail,
mulher sensata, que evitou uma guerra e que muitos fossem mortos.

Como Ester,
mulher fiel a Deus, disposta a morrer pela sua fé e pelo seu povo!

Como Maria,
que com humildade, aceitou ficar grávida do Espírito Santo, antes de estar casada, numa época, em que isso poderia lhe custar a vida!

Como Maria Madalena,
que após ser convertida, expressou sua gratidão a Jesus, de uma forma tão singular, que sua história, é contada a té hoje!

Como Dorcas,
que por viver abnegadamente, Deus a ressuscitou!

Como Lídia,
mulher temente a Deus, de coração aberto às mensagem de Deus.

Como Eunice e Lóide,
mulheres de fé, que souberam criar seus filhos nos caminhos de Deus, em momentos difíceis!


Todas estas grandes mulheres da Bíblia, foram como nós, tiveram seus momentos de fraquezas, mas se levantaram e deixaram seus exemplos de fé, amor, desprendimento, humildade, coragem, perseverança e esperança!


[Autor desconhecido]

Aline
"Quem represou o mar pondo-lhe portas, quando ele irrompeu do ventre materno, quando o vesti de nuvens e em densas trevas o envolvi, quando fixei os seus limites e lhe coloquei portas e barreiras, quando eu lhe disse:

Até aqui você pode vir, além deste ponto não; aqui faço parar as suas ondas orgulhosas?"

[Jó 38.8-11]
Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

"Há mais em mim

mais do que possa crer e ver.
Arde em mim o anseio de conhecer
a Verdade que me faz retroceder
em mim mesma,
e entender que,
o que fui,
o que sou,
deixarei
pelo que serei
ao ouvir o som
do que habita em mim"


Aline Croce, Março de 2008, Mantova It.
Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

"Onde você estava quando lancei os alicerces da terra? Responda-me se é que você sabe tanto. Quem marcou os limites das suas dimensões? E quem estendeu sobre ela a linha de medir? E os seus fundamentos, sobre o que foram postos? E quem colocou a sua pedra de esquina enquanto as estrelas matutinas juntas cantavam e todos os anjos se regozijavam?"
[Jó 38.4-7]
Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
Recentemente li este livro e gostaria de indicar-lhes. É uma avaliação simples mas direta acerca das pequenas coisas que podem realmente trazer-nos grandes mudanças. Afinal os hábitos que constroem nosso caráter são formados na rotina do dia a dia, e também são muitas vezes estes os "grandes vilões" de casamentos que tinham tudo pra dar certo. Porque então não usá-los ao nosso favor? O livro tem um preço acessível (comprei por R$10.90), e uma leitura leve. A apresentação do livro nos diz:



"Na maioria das vezes, são pequenas coisas que começam a destruir uma relação, especialmente o casamento. Aparentemente inofensivos, detalhes e picuinhas passam a ser cada vez mais constantes no cotidiano até se tornarem um grande problema. Mas por que isso ocorre? E como contornar e evitar isso? Resultado da experiência de muitos anos como especialistas em relacionamentos, o casal Parrot compartilha neste livro oito idéias que transformam casamentos em uma relação mais amorosa e motivadora. Cheio de propósito e de espontaneidade, o argumento básico dos autores é que pequenas ações voluntárias e aparentemente insignificantes têm o poder de fazer brotar amor e paixão num casamento desgastado ou simplesmente afetado pelo estresse e pela rotina. Pequenas coisas fazem grande diferença no casamento é um livro essencialmente prático, por meio do qual você e seu cônjuge começarão a desfrutar de mais alegria logo que conhecem e aplicam as idéias apresentadas.

Les e Leslie Parrott são psicólogos e co-diretores do Center for Relationship Development, da Seattle Pacific University, em Washington, EUS. São autores de vários livros, incluindo Relacionamentos, Casamentos, Quando coisas ruins acontecem a bons casamentos e Adolescentes em conflito, publicados pela Editora Vida."



Sigo com as "dicas" básicas que o livro nos traz sobre "Pequenas coisas que fazem grande diferença no casamento", mas a leitura do livro por inteiro é muito preciosa para se compreender as mesmas em todos os seus contextos e particularidades. Eu recomendo a leitura!!!



Uma vez por dia...

1. Separem um tempo para os toques (nem que seja só um minuto)

2. Descubram coisas que o façam rir



Uma vez por semana...

3. Façam alguma atividade que os aproxime

4. Levantem a alto-estima um do outro



Uma vez por mês...

5. Livrem-se dos resíduos nocivos

6. Acendam o fogo da paixão no quarto



Uma vez por ano...

7. Revisem seus dez pontos altos

8. Estabeleçam metas para o próximo ano


Tenha uma boa leitura, com certeza lhe acrescentará!!!
Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline



"Então o Senhor respondeu a Jó do meio da tempestade e disse:

'Quem é esse que obscurece o meu conselho com palavras sem conhecimento? Prepare-se como simples homem; vou fazer-lhe perguntas, e você me responderá"

[Jó 38.1-3]
Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline



" Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano, ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada.
Observa os cumes das montanhas,lembra dos vales,do longo caminho sinuoso através das florestas,através dos povoados,e vê a sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira.
O rio não pode mais voltar.
Ninguém pode voltar.
Voltar não é possível, na existência.
Você pode apenas ir.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando se despeja nêle, é que o medo desaparece, porque apenas então o rio saberá que não se trata de sumir no oceano.
Mas tornar-se Oceano também...”


(autor desconhecido)

Fonte: http://eopensamentovoa.blogspot.com/

Veja mais em: 1 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

Antes de desistir de seu casamento, faça uma lista daquilo que ele tem de bom.


O dia finalmente chegou. Eu insisti o quanto pude para manter meu casamento. Assim que Bill, meu marido, saiu para o trabalho, fiz uma única mala para mim e meu filho de 14 meses e abandonei nosso lar. Este era o único ano em nosso casamento que vivíamos na mesma cidade que meus pais. Obviamente, a conveniência de poder correr para os braços de papai e mamãe tornou a decisão de deixar Bill mais fácil.

Foi com um rosto enraivecido e molhado de lágrimas que entrei na cozinha de minha mãe. Ela pegou o bebê enquanto eu, entre soluços, fazia minha declaração de independência. Depois de lavar o rosto e tomar uma xícara de café, mamãe me disse que papai e ela me ajudariam. Era reconfortante saber que eles estariam ali para me apoiar.

“Mas, antes que deixe Bill definitivamente”, ela disse, “tenho uma tarefa para você”.

Minha mãe colocou o bebê adormecido na cama e, pegando uma folha de papel e uma caneta, traçou uma linha vertical dividindo a folha ao meio. Ela me explicou que eu deveria escrever na coluna da esquerda uma lista de todas as coisas que Bill havia feito e que tornavam impossível a convivência com ele. Conforme observava a linha divisória, imaginei então, que ela me pediria para relacionar as boas qualidades de Bill na coluna da direita. “Vai ser fácil”, pensei. Imediatamente a caneta começou a deslizar sobre o papel, e rapidamente cheguei ao final do lado esquerdo.

Para começar, Bill nunca juntava as roupas que ele deixava pelo chão. Nunca me avisava quando ia sair. Dormia durante os cultos. Tinha hábitos deselegantes e embaraçosos, como por exemplo, assoar o nariz ou arrotar à mesa. Nunca me comprava bons presentes. Recusava-se a combinar as roupas, era rigoroso com gastos e não me ajudava com as tarefas domésticas. Também não gostava de conversar comigo.

A lista continuava até encher toda a folha. Certamente eu tinha evidências mais do que suficientes para provar que nenhuma mulher seria capaz de viver com este homem.

Declarei pretensiosamente, logo, que terminei:

“Agora sei que você vai me pedir para escrever as boas qualidades de Bill do lado direito”.

“Não”, ela respondeu. “Eu já conheço as qualidades de Bill.

Em vez disso, gostaria que, para cada item do lado esquerdo, escrevesse qual foi a sua reação e o que você fez”.Bem, isto já seria mais difícil. Eu já havia pensado nas poucas qualidades de Bill que poderia mencionar. Porém, em nenhum momento considerei pensar sobre mim mesma. Eu tinha certeza que mamãe não me permitiria deixar a tarefa incompleta. Então, comecei a escrever a segunda coluna.

Em resposta às atitudes dele eu fazia cara feia, chorava e sentia raiva. Eu me envergonhava de sua companhia. Eu me comportava como uma “mártir”. Desejava ter me casado com outra pessoa. Dava-lhe o “tratamento silencioso”. Acreditava que era boa demais para ele. O meu lado da lista parecia não ter fim.

Quando cheguei ao final da página, mamãe pegou o papel da minha mão e foi até a gaveta do armário. Ela pegou uma tesoura e cortou-o ao meio no sentido da linha vertical que havia traçado. Pegou a coluna da esquerda, amassou-a e a jogou no lixo; e voltando-se em minha direção me entregou o lado direito.

“Becky, leve esta lista de volta para casa com você”, ela me disse. “Passe o restante do dia refletindo sobre ela. Ore sobre isso. Cuidarei do bebê até o anoitecer. Se fizer o que estou lhe pedindo, e depois se você sinceramente ainda quiser se separar de Bill, seu pai e eu estaremos aqui para lhe ajudar”.


Encarando os fatos - Deixando a bagagem e meu filho na casa dos meus pais, dirigi de volta para casa. Assim que sentei no sofá com aquele pedaço de papel na mão, não pude acreditar no que estava vendo. Mesmo sem uma análise adequada dos hábitos irritantes de meu marido, a minha lista parecia simplesmente horrível.

O que eu podia ver era um verdadeiro recorde de comportamentos mesquinhos, atitudes vergonhosas e reações destrutivas. Gastei as horas que se seguiram pedindo a Deus que me perdoasse. Pedi a Deus força, orientação e sabedoria para as mudanças que agora eu sabia que teriam que ocorrer em mim. À medida que continuava orando, percebi a maneira ridícula com que estava me comportando. Eu me lembrava vagamente das transgressões que tinha escrito para Bill. Era uma lista completamente absurda. Não havia nada de tão horrível ou imoral nela. Na verdade, eu havia sido abençoada com um bom homem – não um homem perfeito, mas um bom homem.

Meus pensamentos recuaram até cinco anos atrás. Eu havia feito um voto a Bill. Eu o amaria e o honraria na saúde ou na doença. Estaria com ele para o melhor e para o pior. Eu havia dito essas palavras na presença de Deus, da minha família e dos nossos amigos. E hoje, pela manhã, estava pronta para abandoná-lo por causa de aborrecimentos triviais.Neste momento peguei o carro e voltei à casa de meus pais. Eu estava maravilhada de como me sentia tão diferente de quando havia chegado da primeira vez, de manhã, para encontrar minha mãe. Agora me encontrava em paz; sentia-me agradecida e aliviada.

Quando peguei meu filho de volta, senti-me alarmada ao pensar em como estava prestes a fazer uma mudança tão drástica em minha vida. Meu egoísmo quase custara a essa criança a oportunidade de conviver todos os dias com um pai maravilhoso. Agradeci a minha mãe, e rapidamente saí porta afora, de volta para minha casa. No horário em que Bill costumava chegar do trabalho, eu já havia desfeito a mala e esperava por ele.


Um novo olhar - Eu adoraria poder dizer que Bill mudou. Mas isso não aconteceu. Ele ainda faz as mesmas coisas que “me aborrecem, me envergonham e me deixam a ponto de explodir”.

Na verdade, a mudança aconteceu comigo. Daquele dia em diante, me tornei responsável não apenas por minhas ações em nosso casamento, mas também por minhas reações.

Ainda me recordo de um item da lista: Bill dormia durante os cultos. O momento em que ele começava a cochilar sempre marcava o fim do meu período de adoração.

Eu acreditava que ele, de propósito, não tinha o menor interesse na mensagem – e meu pai era o pregador! Eu não me importava com o fato de Bill não ser capaz de permanecer acordado a qualquer hora por longos períodos. O tempo que ele gastava cabeceando de tanto sono eu gastava bufando de raiva. Sentia-me envergonhada no meio da congregação. Era uma grande humilhação. Tentava imaginar por qual razão eu havia casado com esse homem. Certamente ele não merecia uma esposa tão boa quanto eu!

Somente agora podia enxergar claramente como eu era. Meu orgulho estava atrapalhando uma parte muito importante da minha vida: a minha adoração. Agora, quando Bill cochilava na igreja, eu gastava esse momento em oração e agradecimento. Desviava os meus olhos dele dormindo e de mim mesma, para concentrar o meu olhar apenas em Deus. Em vez de deixar a igreja furiosa, passei a sair cheia de alegria.

Não demorou muito até que Bill percebesse a diferença. Ele comentou durante um almoço de domingo: “Você parece estar gostando mais dos cultos ultimamente. Eu já estava começando a pensar que você não gostava do pregador.” Meu instinto imediato seria contar-lhe como ele havia arruinado tantos cultos que assisti. Mas, ao contrário, aceitei seu comentário sem erguer minhas defesas.


Refazendo a lista - Tenho refeito essa lista muitas vezes ao longo dos anos. Continuo pedindo perdão a Deus pelo meu comportamento patético e sabedoria para vivenciar o meu casamento.

Quinze anos depois desta experiência, Bill, aos 49 anos, foi diagnosticado como portador do Mal de Alzheimer. Ele teve que abrir mão de seu trabalho como professor, e assumi o sustento da família, o que nos levou a dias de muitas tentativas e noites de muita preocupação. Observá-lo lutando para manter suas habilidades básicas diárias tem sido uma grande inspiração tanto para mim quanto para nossos filhos. Precisamos depender de nossa fé para crer que Deus está no controle – especialmente quando sentimos não ter controle algum da situação. Temos procurado na Bíblia as respostas para estas questões difíceis de entender. Gastamos nosso tempo com emoções que vão desde a raiva até a tristeza. Perguntamos-nos, “Por quê?”. Nesses momentos, clamamos a Deus e pedimos que nos dê a paz que excede a todo entendimento.

Lamentavelmente, existem dias em que minha paciência está quase esgotada mesmo sabendo que Bill não pode evitar certas coisas que me irritam. Então, percebo a minha responsabilidade em reagir com o amor que Deus tem me mostrado. Clamo a Deus e peço que ele ame Bill através de mim – porque sei que não sou capaz de amar Bill da maneira que Deus o ama.

Agradeci a Deus muitas vezes por ter uma mãe que foi minha mentora espiritual. Embora tenha certeza de que se sentiu tentada a fazê-lo, naquele dia mamãe não me passou um sermão ou me deu sua opinião sobre o meu comportamento. O que ela fez foi conduzir-me a descobrir a verdade que salvou o meu mais precioso bem: meu casamento. Se não tivesse aprendido a reagir como uma esposa cristã aos pequenos problemas de Bill, eu jamais seria capaz de reagir de maneira adequada aos grandes problemas que hoje enfrentamos.

Ao chegar em casa outro dia, meu filho me perguntou o seguinte:

“Mãe, o que vamos fazer quando papai não se lembrar mais de nós?”.

“Bom, nós vamos nos lembrar de quem ele é. Lembraremos-nos do pai e do marido que ele foi. Vamos nos lembrar de tudo que ele nos ensinou e da maneira maravilhosa com que ele nos amava”, respondi.

Depois que meu filho saiu da sala, fiquei pensando neste homem que amou sua família e o seu Deus. Sorri comigo mesma: muitas das minhas lembranças mais vívidas eram daqueles pequenos hábitos irritantes que me levaram a fazer uma lista de defeitos anos atrás.






Veja mais em: , 3 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline


"Esta vida é apenas a infância de nossa imortalidade"

Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline


Morte do Eu


Quando morro para o meu Eu, não tenho nada a perder.


Tenho tudo a a ganhar.



"Eu estou crucificado com Cristo; e apesar de continuar a viver, já não é o meu eu quem domina, mas é Cristo quem vive em mim. E o resto da minha existência nesta terra é o resultado da fé que eu tenho no Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim."


Gálatas 2:20
Aline


Veja mais em: , , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline

"Não é a vida lá fora que realmente conta,
Nem o sucesso que alguém conquista.
Mas na vida familiar feliz,
É que a alegria verdadeiramente grande começa.
Pois o lar é o verdadeiro fundamento da vida,
E nada poderá apagar
As marcas dos lares grandes e bons,
Que fazem do mundo um lugar melhor"


Extraido do Livro: "Eu quero, eu posso' de Alice Sheppard
Veja mais em: , , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline




É Páscoa, ainda e sempre, Também!

Ontem, como hoje, Deus continua falando.
No silêncio, talvez
Nos gritos de desespero, de indignação, de vitória...Certamente!
E fala ainda pela boca das faladeiras (Em quem não se deve acreditar?)
Mulheres, negros, índios, menores, sem-terra, sem-teto, sem-emprego...
E fala na língua das minorias (maiorias?)
Não na língua universal, correndo o risco de desaparecer (Mas ousa correr esse risco!)
Fala daquilo que não se encontra nem se entende
Nem nos shopings,
Nem nas bolsas de valores,
Nem no FMI
(Mandam no Brasil).

E fala de muitos modos:
Com ternura (bem-vindos, contem comigo, coragem, sê forte, não desanime...)
Com indignação (ai de vós, afastai-vos, malditos...)
Com desespero (por que me abandonaste?...)
Chorando (sob o cálice amargo no horto...)
Calando (na cruz...)
Emocionado (Ele não está aí, RESSUSCITOU!)
Fala de exílio e êxodo (sim, êxodo também!)
Fala do banquete (não o “real”, mas o popular)
Fala da comida (que sacia e faz viver a todos/as)
Fala da festa (enlutada, é claro. Afinal, muitos continuam crucificados)
Fala da roupa da festa (perseverança, ânimo, coragem, resistência, teimosia...)
Eis que a noite é longa, mas o gozo, eterno.

Fala da receita (não a do mercado neoliberal, mas a da solidariedade global e globalizada!)
Fala a(o)s cozinheiro(a)s: “vocês são meus filho(a)s muito amado(a)s”!
Fala a(o)s convidado(a)s: “venham, vocês que são abençoados”;
recebam como herança o reino desde sempre preparado para vocês”!
É PÁSCOA! (Hoje, como sempre!)
Fonte: de Francisco de Aquino Júnior


Saiba mais sobre a HISTÓRIA DA PÁSCOA:

“Pois Cristo nossa páscoa foi sacrificado por nós” (ICo 5.7)

Simbolizando a renovação da vida, a volta da primavera e a ressurreição de Cristo, a páscoa está presente em todo o mundo, até mesmo onde o cristianismo não é conhecido ou onde as religiões pagãs constituem grande maioria. Ela já existia muitos séculos antes de Cristo como uma doutrina originária da Babilônia, e ao mesmo tempo em que era praticada pelo povo de Israel em comemoração à sua saída do Egito, com o sentido de passagem – no caso a passagem do anjo destruidor ou, segundo alguns, a passagem pelo mar vermelho – e prefigurava a pessoa de Cristo, que foi sacrificado por nós, como nossa páscoa (Êxodo 12.12).
Instituída para ser celebrada aos 14 dias do mês de Abib (ou Nisã, conforme o uso babilônico), a páscoa tipificava a obra expiatória de Cristo no Calvário, sendo o cordeiro, ou o cabrito, “sem defeito”, e cujos ossos não seriam quebrados, (Ex 12.4,9,46). Como o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, Jesus foi crucificado exatamente no dia da páscoa, 14 de Nisã (que provavelmente corresponde ao nosso mês de Abril), às nove horas da manhã, e expirou às três horas da tarde, quando no templo o sacerdote imolava o cordeiro pascal.
A páscoa bíblica, portanto, consumou-se em Cristo que instituiu, como um novo memorial, a sua ceia, na qual o crente comemora a morte do Senhor até que Ele venha. Não há, em o Novo Testamento, nenhum lugar para a páscoa ou outras festividades mosaicas, as quais foram abolidas na cruz juntamente com outras ordenanças, pois funcionaram tão somente como sombras das coisas futuras, espirituais, pertencentes à dispensação da graça.

A Origem do Ovo da Páscoa


Estranha ao N.T., á páscoa moderna tem por símbolos aceitos em todo o mundo o ovo e o coelhinho. Com o correr do tempo, muitas festas e tradições surgiram e chegaram até nós, através da cultura de muitos povos e países diferentes. A palavra “easter” (“páscoa” em inglês), parece que vem da deusa anglo-saxônica da primavera, Eostre, derivada da Istar babilônica. Outros atribuem a sua origem às festas de Eostur, que celebra a volta da primavera, também uma antiga tradição babilônica.
No hemisfério Norte esta festa corresponde ao princípio da primavera e por isso esse dia é festejado de muitas maneiras de acordo com os mais diferentes ritos pagãos. Muitos séculos atrás os sírios, troianos e nórdicos reuniam-se nos montes, ao amanhecer, a fim de celebrar a volta do sol da primavera.
O ovo, significando começo, origem de tudo, abriu o caminho para outras tradições. Ele está presente na mitologia antiga, nas religiões do Oriente, nas tradições populares e numa grande parte da cristandade. Segundo alguns, a tradição dos ovos na comemoração da páscoa chegou ao Ocidente vinda do antigo Egito e, segundo outros, através de povos germânicos da região do Báltico.
Na Idade Média, os europeus adotaram o costume chinês de enfeitar ovos, que eram cozidos e coloridos, e davam-se aos amigos na festa da primavera, como lembrança de continua renovação de vida. Colorir os ovos se tornou arte requintada. Eram cozidos com tintas vegetais até endurecer. A fruta do tojo fornecia a cor amarela, a beterraba o vermelho.
No séc. XVIII, a Igreja Católica romana adotou oficialmente o ovo como símbolo da ressurreição de Cristo, santificando-se desta maneira um uso originalmente pagão, e pilhas de ovos coloridos começaram a serem benzidas antes de distribuídos aos fiéis.
O coelho, como símbolo de fecundidade, apareceu por volta de 1215, na França, derivando-se também dos mistérios babilônicos. Uma mistura de mitologia pagã com a simbologia cristã paganizada.
A partir de 1928, quando o cacau começou a ser industrializado a longa escala, os enfeitados ovos de galinha foram substituídos pelos de chocolate, e assim continua o antigo costume pagão de presentear com ovos os amigos na páscoa.
Em 1951, o papa Pio XII introduziu modificações na festa da páscoa numa tentativa de restituir-lhe o esplendor religioso, transferindo a missa que era celebrada no sábado de aleluia- quando se “malha o Judas” – para a meia-noite, na passagem para o domingo. O sábado, como preparação para a páscoa, foi chamado de sábado santo. A partir do mês de novembro, o romanismo impõe ainda a sues fiéis, como preparação para a festa, uma série de ensinamentos sobre os sacramentos. A quaresma, através de penitência, é considerada de grande valia no preparo do povo.
Na vigência da Lei, deveriam os israelitas, ao comer o cordeiro pascal, volver os pensamentos aos fatos que culminaram na libertação de seus pais da escravidão egípcia, renovar os votos de fidelidade ao Senhor e, também, divisar no porvir os sofrimentos e as glórias do Messias, de quem Moisés escreveu: “O Senhor teu deus te suscitará um profeta como eu, do meio de ti, de teus irmãos. A Ele ouvirás” Dt 18.15.
Já na Ceia, as contingências são outras. O crente traz à memória o Cristo na cruz, na dupla condição de sacerdote e vítima, a derramar o sangue inocente purificador de todo o pecado. E não somente isso, mas relembrando-se do passado, reconsagra sua vida no presente e dirige-se ao futuro, antegozando o cumprimento destas palavras do próprio Jesus: “E digo-vos que, desta hora em diante, não beberei deste fruto da vide, até àquele dia em que o beba de novo convosco no reino de meu Pai” (Mt 26.29).

Paganismo: 1. Religião dos que adoram vários deuses. – 2. Designação genérica das religiões não cristãs.
Pagão: 1. Povos politeístas e aqueles que estão ligados as sua crenças. – 2. Ligado as civilizações greco-romanas.

Fonte: ALMEIDA, de Abraão; Lições da História que não podemos esquecer, 1993 Ed. Vida, São Paulo, SP, segunda edição. A páscoa e outras ofertas, capitulo 04.
Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline




"Só uma vida ao serviço dos outros é uma vida de valor"
Albert Einstein


"Porque até o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente" Mc 10.45

Veja mais em: 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline






I Got Flowers Today...
Hoje eu recebi flores...


I got flowers today.
Hoje eu recebi flores.
It wasn't my birthday or any other special day.
Não era o meu aniversário ou algum dia especial
We had our first argument last night,
Na noite passada tivemos a nossa primeira discussão.
And he said a lot of cruel things that really hurt me.
E ele disse coisas cruéis que realmente me magoaram.
I know he is sorry and didn't mean the things he said.
Eu sei que ele se arrependeu e que não queria fazer isso.
Because he sent me flowers today.
Porque ele me mandou flores hoje.


I got flowers today.
Hoje eu recebi flores.
It wasn't our anniversary or any other special day.
Não era nosso aniversário de casamento ou algum dia especial.
Last night, he threw me into a wall and started to choke me.
Na noite passada, ele me jogou na parede e começou a me sufocar.
It seemed like a nightmare.
Tudo parecia um pesadelo.
I couldn't believe it was real.
Eu não podia acreditar que aquilo era real.
I woke up this morning sore and bruised all over.
Eu acordei nessa manhã com dores e toda arranhada.
I know he must be sorry.
Eu sei que ele deve estar arrependido.
Because he sent me flowers today.
Porque ele me mandou flores hoje.


I got flowers today,
Hoje eu recebi flores.
And it wasn't Mother's Day or any other special day.
Não era o dia das mães ou algum dia especial.
Last night, he beat me up again.
Na noite passada ele me bateu de novo.
And it was much worse than all the other times.
E foi muito pior do que todas as outras vezes.
If I leave him, what will I do?
Se eu o deixar, o que eu farei?
How will I take care of my kids?
Como eu posso cuidar dos meus filhos?
What about money?
Como vou ter dinheiro?
I'm afraid of him and scared to leave.
Tenho medo dele e receio de deixá-lo.
But I know he must be sorry.
Mas eu sei que ele deve estar arrependido.
Because he sent me flowers today.
Porque ele me mandou flores hoje.


I got flowers today.
Hoje eu recebi flores.
Today was a very special day.
Hoje foi um dia muito especial.
It was the day of my funeral.
Foi o dia do meu funeral.

Last night, he finally killed me.
Na noite passada ele finalmente matou-me..
He beat me to death.
Ele me bateu até eu morrer.
If only I had gathered enough courage
Se eu somente tivesse tido a coragem
suficienteand strength to leave him,
e a força para deixá-lo.
I would not have gotten flowers...today.
Eu não teria recebido flores… hoje.


Copyright 1992 Paulette KellyAll Rights Reserved



Calar-se nem sempre é a melhor solução! Esperar mudanças que provavelmente nunca ocorram, ocultar pra si mesma a realidade, pode levar ao fim. Muitas mulheres, adolescentes e meninas são agredidas com uma frequência assustadora no Brasil. Muitas vezes a agressão começa com um namoro violento, palavras que lhe aprisionam, homens que não lhe dão espaço, ou sentem um cíume obcecado, levando posteriormente a um casamento falido. Outras vezes com pais, primos, tios, parentes que se acham no "direito" de uma intimidade abusiva e sutilmente se aproximam. Até mesmo dentro de igrejas entre "pastores", "obreiros", "padres", uma violência mascarada e constragedora, que intimida e inibe reina nos bastidores do convívio diário. Sem falar do ambiente de trabalho, onde constantemente ocorrem violências e abusos morais. Até mesmo um "aparente elogio", ou uma "cantada" na rua veem abusivamente escondidas em forma de violência, nos ofendendo, agredindo nosso espaço, nossa área de limite pré-estabelecida, sem que tenhamos direito de defesa. A proximidade com que vivemos estas realidades, acredite não estão distantes de nós! Alerte-se! E fique atenta!







E se você tem sido vítima de abuso sexual, agressão física, verbal e até mesmo psicológica, ou quem sabe conhece alguém que passe por isto, busque ajuda! Tenha coragem, seja forte! Busque a orientação de uma pessoa madura e equilibrada, ou vá diretamente a uma delegacia da mulher! Busque informações a respeito, você não está sozinha nesta batalha, muitas mulheres passaram pela mesma situação e venceram! Você também vencerá! Acredite em você! Você pode!!!


Você conhece a história de MARIA DA PENHA? Uma mulher vitoriosa, é o nome dela que a Lei contra a Violência a Mulher leva. Te encorajo a conhecer sua luta, e inspirar-se!


Veja aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_Maria_da_Penha







Deus ama você! A despeito do que possam lhe ter feito, a despeito de seus agressores, o que possam ter feito com você não é o que Deus pensa sobre você! Você é preciosa demais e tem um alto valor! A Bíblia diz que "Deus é amor". Firme-se no amor do Senhor!


Oro hoje por você, e conclamo a você mulher, que jamais pensou que um dia isto pudesse chegar perto de você, a orar. Oremos juntas pelas muitas que sofrem, e estão presas no próprio silêncio, nas dificuldades assombrosas de um rompimento de uma família, nas amarras vergonha diante da sociedade, nas marcas de um corpo ferido e de um coração profundamente magoado.


Mais informações sobre Violência contra a mulher você pode encontrar aqui:


http://www.violenciamulher.org.br/


Para refletir:

  • Por que algumas mulheres se submetem a humilhações e violências?
  • Como a mulher cristã deve proceder quando for vítima de violência doméstica?
  • As mulheres veem na igreja um lugar acolhedor para tratarem de suas adversidades cotidianas?

Indico a você um outro livro, de Míria Ribeiro, "MULHERES TÊM MEDO DE QUE?" , Ed MK, RJ, 2006.

Em Cristo, Aline Croce Santos.

Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline
Segue-se um texto de Lya Luft lindo! Espero que todas nós mulheres possamos chegar a maturidade de nossos dias com este cântico vigoroso nos lábios!


"Os que esperam no Senhor renovarão as suas forças, subirão com asas, como de águias, voarão e não se cansarão"



Canção na plenitude

Lya Luft



Não tenho mais os olhos de menina


nem corpo adolescente,


e a pele translúcida há muito se manchou.


Há rugas onde havia sedas,


sou uma estrutura agrandada pelos anos


e o peso dos fardos bons ou ruins.


(Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)



O que te posso dar é mais que tudo o que perdi: dou-te os meus ganhos.


A maturidade que consegue rir quando em outros tempos choraria,


busca te agradar quando antigamente quereria apenas ser amada.


Posso dar-te muito mais do que beleza e juventude agora:


esses dourados anos me ensinaram a amar melhor,


com mais paciência e não menos ardor,


a entender-te se precisas,


a aguardar-te quando vais,


a dar-te regaço de amante


e colo de amiga,


e sobretudo força — que vem do aprendizado.


Isso posso te dar: um mar antigo e confiável cujas marés

— mesmo se fogem — retornam,


cujas correntes ocultas não levam destroços

mas o sonho interminável das sereias.




O texto acima foi extraído do livro "Secreta Mirada", Editora Mandarim - São Paulo, 1997, pág. 151.
Aline

Meu amigo Tony Campolo [...] se encontrava em um local que tinha um fuso horário bem diferente e não conseguia dormir. Então, bem depois da meia-noite saiu perambulando até chegar a uma confeitaria. Algumas prostitutas locais também ali entraram no meio da madrugada, depois de suas atividades habituais. Lá ele não pôde evitar de ouvir uma conversa entre duas delas. Uma, chamada Agnes, disse à outra: “Sabe de uma coisa? Amanhã é meu aniversário. Vou fazer 39 anos. [...] Nunca tive uma festa de aniversário em toda minha vida [...].

Quando saíram, Tony teve uma idéia. Perguntou ao proprietário da confeitaria se Agnes ia lá todas as noites, e, quando ele disse que sim, convidou-o a participar de uma conspiração para organizar uma festa surpresa. Até a esposa do proprietário se envolveu. Juntos, arrumaram um bolo, velas de aniversário e decoração para que festejassem com Agnes, que para Tony não passava de uma completa estranha. Na noite seguinte, quando ela entrou, todos gritaram: “Surpresa! Surpresa!” - e Agnes não podia acreditar no que seus olhos estavam vendo. Os fregueses da confeitaria cantaram e ela começou a chorar tanto que mal conseguiu soprar as velinhas. [...] Em seguida, ela saiu carregando seu bolo como se fosse um tesouro.
Tony conduziu os convidados em um momento de oração por Agnes e o proprietário da loja disse que não fazia a menor idéia de que Tony fosse um pregador e pastor. E então perguntou a Tony de que tipo de igreja ele era. Tony respondeu que era de uma igreja em que se dão festas de aniversário para prostitutas às 3:30 horas da madrugada. O homem não podia acreditar. “Não, isso não é possível. Não existe uma igreja assim. Se existisse, eu me juntaria a ela. É, com certeza eu faria parte de uma igreja desse tipo”.

Extraído do Livro A Mensagem secreta de Jesus, de Brian McLaren


(Do Blog de Alex Farjado http://alexfajardo.wordpress.com/ )
Veja mais em: , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Aline




OS QUE NÃO PERDOAM...



(Inspirado no livro Dias Melhores, de Carlos Bacelli)





A fim de que não percam a condição de vítima, há os que não perdoam.

Com o propósito de despertar a compaixão alheia, estimam viver com os sentimentos feridos.




De caso pensado, negam ao ofensor a oportunidade da reparação.









Fogem à reaproximação promovida por amigos comuns. Dificultam ao máximo a possibilidade do entendimento.








Cobrem-se de razão, não admitindo sequer a hipótese de que possam ter alguma parcela de culpa.












Estabelecem um preço excessivamente alto a quem os tenha magoado por bagatela. Não entendem o perdão como dádiva, mas como mercadoria negociável.







Ofendidos uma única vez, não hesitam em ofender sucessivas vezes em revide...








Na verdade são crianças a quem a vida machucou muito, se sentem abandonadas, por isso se mantiveram no ressentimento, ignorantes da sua condição de ser divino, capaz de se renovar a cada instante. Não é o escuro do mundo que as apavora, mas a escuridão que existe dentro delas. Estão famintas de amor, tenha piedade...








Esses irmãos mantêm o rancor como trunfo em seu relacionamento com os outros. Estão fechados, já não vivem, vegetam... morreram e não sabem.








Quando você se deparar com uma pessoa assim, não caia na tentação de se revoltar ao de abandoná-la mais uma vez... Acolha esta criança, ensine a ela o caminho que já foi te ensinado um dia e, pacientemente, espere pelo seu despertar. Não há noite que não conheça o dia...







É somente a partir do amor que a vida pode recomeçar.











Veja mais em: , , 0 COMENTÁRIOS | | edit post
Sua opinião 
Related Posts with Thumbnails